Normal
0
21

false
false
false

MicrosoftInternetExplorer4

st1:*{behavior:url(#ieooui) }


/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:10.0pt;
font-family:”Times New Roman”;
mso-ansi-language:#0400;
mso-fareast-language:#0400;
mso-bidi-language:#0400;}

Chuva, acidentes, ruas fechadas. O trânsito em São Paulo permaneceu difícil nesta terça-feira. A expectativa de tráfego mais calmo não se concretizou, pelo menos por enquanto, apesar do apelo do Dia Mundial Sem Carro, comemorado hoje em cerca de 1,5 mil cidades ao redor do globo.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) registrou 73 km de lentidão por volta de 8h30, índice considerado dentro da média. Ao contrário do Rio de Janeiro, onde foram colocados mil ônibus a mais em circulação, a prefeitura de São Paulo não organizou esquema especial no transporte público, sob justificativa que não havia expectativa de aumento da demanda.

Por volta de 15h30, a cidade resgistrava quase 50 km de lentidão. Vias principais como Avenida do Estado, Marginais, Avenida Ibirapuera e Radial Leste estavam com o trânsito carregado.

Rio de Janeiro

Apesar do esquema especial, a chuva que atinge o Rio de Janeiro desde ontem (21) e a falta de ciclovias atrapalharam os planos da prefeitura, que organizou diversos eventos por toda a cidade para estimular a população a usar bicicletas.

De acordo com a Coordenadoria de Vias Especiais (CVE) da prefeitura do Rio, a movimentação foi normal, sem reduções perceptíveis na Avenida Brasil, via expressa que liga a zona oeste ao centro da cidade, na Linha Vermelha, que liga os municípios da Baixada Fluminense também ao centro, e nos principais túneis.

Para garantir que os usuários de trens não precisassem esperar muito tempo caso houvesse aumento na procura, a Supervia, concessionária responsável pelo meio de transporte, disponibilizou 100% de sua frota. Mas, de acordo com a assessoria de imprensa da companhia, não foi preciso fazer alterações no esquema porque pelo menos até o fim da manhã não foi verificado aumento da demanda.

A concessionária Metrô-Rio também montou esquema especial, aumentando o número de composições e reduzindo os intervalos entre as partidas, mas a assessoria de imprensa da empresa não soube informar se o número de passageiros havia aumentado durante a manhã.

Para marcar a data, a prefeitura também promove, durante todo o dia, uma série de eventos culturais e educativos destacando a importância de  repensar o uso do automóvel como meio de transporte nas grandes cidades.

A Companhia de Engenharia do Tráfego do município (CET-Rio) determinou a redução do limite de velocidade de 32 ruas secundárias do bairro de Copacabana, que passou a ser de 30 quilômetros por hora, e proibiu o estacionamento de veículos em diversas ruas do centro. Além disso, o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) instalou equipamentos para monitorar a qualidade do ar em dois pontos do centro.

Chuva atrapalha Dia Mundial Sem Carro no Rio e em SP

Sem mais artigos
Sair da versão mobile