Normal
0
21

false
false
false

MicrosoftInternetExplorer4

st1:*{behavior:url(#ieooui) }


/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:10.0pt;
font-family:”Times New Roman”;
mso-ansi-language:#0400;
mso-fareast-language:#0400;
mso-bidi-language:#0400;}

Projeto de toque de recolher para crianças e adolescentes,
que proíbe a permanência de jovens a partir de horário estipulado, tem ganhado
força na Grande São Paulo.

A medida que já vigora em Ilha Solteira,
Fernandópolis e Itapura, cidades do interior de SP, também pode ser implantada em Santo André, Diadema,
Guarulhos e Ribeirão Pires e em mais 16 cidades paulistas.

 

O vereador Marcos Cortez (PSDB) apresentou na Câmara
Municipal de Santo André uma proposta que visa diminuir o número de ocorrências
policiais envolvendo menores.

Segundo o projeto, jovens com menos de 18 anos
não poderão frequentar locais públicos sem a companhia dos pais, entre a
meia-noite e as 6 horas.

 

Leia Mais:

BATE/REBATE: Toque de recolher para menores divide a opinião
de especialistas

Decretado toque de recolher para menores no interior de SP

Cidades da Grande SP estudam toque de recolher para jovens

Sem mais artigos