Empenhados em revolucionar o futuro dos tratamentos de câncer, os cientistas do International Cancer Genome Consortium acabaram de obter a primeira vitória.

Segundo o site das BBC, eles descobriram o código genético de dois dos cânceres mais comuns que afetam pessoas do mundo todo: pele e pulmão.

Os cientistas encontraram o código do DNA de um câncer de pele chamado melanoma que continha mais de 30 mil mutações quase inteiramente causadas pela excessiva exposição ao sol.

O código de DNA do câncer de pulmão tinha mais de 23 mil erros em maioria causados pela exposição ao fumaçao do cigarro.

A partir disso, os experts concluíram que um fumante padrão sofre uma mutação a cada 15 cigarros que fuma. Ainda que algumas das mutações sejam inofensivas, algumas desencadeiam no câncer.

Unidos com o objetivo de catalogar todos os genes que dão errado e causam os mais variados tipos de câncer, os cientistas estão divididos por países e tipo de câncer.

O Reino Unido está pesquisando o câncer de seio, o Japão o câncer de fígado e a Índia, o de boca. A China estuda o câncer de estômago e os EUA investigam os cânceres de cérebro, ovário e pâncreas.

Os estudos ainda devem levar mais 5 anos para serem concluídos.

Segundo o professor Michael Stratton, líder dos estudiosos do Reino Unido, “a catalogação vai mudar a maneira como pensamos em câncer individualmente. Identificando-os, seremos capazes de desenvolver novas drogas para combater os genes mutantes epecíficos e trabalhar em novos tratamentos.”

E ainda deu uma boa notícia: “Poderemos até desenvolver exames de sangue como o Mo -T, um tipo de teste feito em adultos saudáveis que é capaz de reconhecer padrões de DNA que sugerem ou são propensos a terem câncer.”

Para o doutor Peter Campbell, responsável pela pesquisa, publicada no jornal Nature, “é como jogar roleta russa. Na maior parte das vezes as mutações acontecem em partes inocentes do genoma, mas algumas atingem alvos perfeitos para o câncer. Ao parar de fumar, uma pessoa poderia reduzir seu risco de câncer de volta a normalidade, com o tempo”.

Ainda segundo Campbell, um estudo detalhado, com a catalogação de cada câncer, permitirá ainda descobrir exatamente qual o estilo de vida e os fatores ambientais que desencadeiam diferentes tumores.

Sem mais artigos