A organização criminosa Comando Vermelho revelou em email à imprensa que formou um time de futebol chamado Esquadrão Vermelho. A iniciativa faz parte dos planos da organização de obter reconhecimento cada vez maior perante a sociedade. O CV já tem se envolvido em vários projetos sociais nos últimos anos, cuidando da segurança de comunidades e até ajudando em obras de melhorias em morros em Vigário Geral e na Pavuna.

Segundo o comunicado, sua recém-formada equipe joga e treina em campeonatos de bairro na Zona Norte e Baixada Fluminense. Seu uniforme é, obviamente, vermelho, mas com detalhes em branco. O time já foi apelidado de rubro-rubro.

Só que as ambições da nova equipe não param por aí. Com o tempo, o Esquadrão Vermelho almeja se inscrever na Federação Fluminense de Futebol e disputar o campeonato estadual e, quem sabe, o brasileiro. Mas e a conexão com o crime? O release do CV já se adianta a esse tipo de questionamento e, em tom debochado, diz que estará à vontade entre a cartolagem brasileira. “Se gritar pega ladrão, tu já sabe, né meu irmão”, brinca, parafraseando a música dos Originais do Samba.

Mas, mesmo com todo o discurso de se reinserir na sociedade, o time do CV já encontra dificuldades em sua incipiente carreira. A primeira é que está difícil encontrar times que queriam enfrentá-lo. “A gente fica pensando né, e se derrotar os caras?” declarou um jogador de um time da região que não quis se identificar. “E se, sem querer, quebrar um deles, será que os caras vão levar de boa? Ou vão jogar a gente dentro do pneu e tacar fogo?”

E árbitros com peito para tomar decisões desfavoráveis ao time? Aí fica ainda pior. Corre um rumor no bairro do Realengo que um juiz do bairro nunca mais foi visto depois que marcou um pênalti contra o time do CV.

Esta matéria é integrante das mentirinhas de 1º de abril publicadas no portal Virgula.

Comando Vermelho monta equipe de futebol

Sem mais artigos