Você sabe o que as faixas Paciência, interpretada por Lenine, Caminhos do Mar, interpretada por Gal Costa, e Quem de Nós Dois, interpretada por Ana Carolina, têm em comum? Famosas nas vozes de seus intérpretes, as três canções são de autoria do músico Dudu Falcão, conhecido no cenário da MPB após emplacar cerca de 50 de suas composições em novelas e minisséries.

Compositor há duas décadas, o pernambucano despontou quando se mudou para o Rio de Janeiro e teve duas de suas composições, Deixa Eu Cantar e Era Tudo Verdade, gravadas pela cantora Nana Caymmi no LP Nana, de 1988. Após ter suas criações gravadas por artistas de peso, como Maria Bethânia, Milton Nascimento e Ivete Sangalo, Dudu Falcão resolveu trocar os bastidores pelo palco – chega às lojas nesta semana pela Som Livre seu primeiro CD, Dudu Falcão, com 14 faixas (oito sucessos e seis inéditas).

Segundo Falcão, o desejo de se colocar como intérprete surgiu a partir da vontade de fazer um registro autoral e intimista. “Foi uma iniciativa intuitiva. Eu tinha a necessidade de fazer um registro meu, que traduzisse a minha visão e os meus sentimentos em relação às minhas faixas”, explicou. “Quando eu interpreto minhas canções, acho que crio um sentimento de cumplicidade com o público, e é exatamente por isso que o álbum é mais intimista”, completou Falcão.

Para se preparar para a gravação do álbum, Falcão começou a fazer aulas de canto e fonoaudiologia. “A voz é apenas mais um instrumento. Meu ouvido sabe o que quer na hora da composição, então a interpretação é uma extensão”, conta ele, que garantiu não se sentir inseguro em sair dos bastidores. “Sempre gostei de palco, de cantar para as pessoas. Quero trazer o público para perto, fazê-lo sentir as canções”.

O músico faz questão de diferenciar o trabalho do intérprete da atuação do cantor. “Gosto muito mais do intérprete, daquele artista que consegue colocar nas músicas a sua assinatura, transmitindo uma emoção única. Sabe aquela pessoa que fecha os olhos e você sente as palavras sendo ditas na hora do canto? Esse é o intérprete. Tem gente que parece que só decora a letra e pronto, acha que é suficiente”, alfinetou Falcão, que admira o trabalho de intérpretes como Maria Gadu, Marisa Monte e Roberta Sá.

O álbum traz participações de artistas como Ana Carolina, Jorge Vercillo,  Lenine, Max Viana e Danilo Caymmi, que segundo Falcão apareceram por acaso no processo de gravação. Considerando que estes intérpretes já haviam cantado composições de Falcão, nada mais natural que convidá-los para o álbum. “Entretanto, é importante ressaltar que as participações são pequenas. Fiz questão de falar para a gravadora não colocar isso na capa, para não dar ao público uma falsa impressão”, explicou.

Dudu Falcão começa a turnê de seu primeiro álbum em 2010, e afirma não ter certeza do que virá depois. “Não planejei outro trabalho como intérprete por enquanto, prefiro deixar as coisas acontecerem sozinhas. Por enquanto, quero trabalhar com a maior intensidade possível na turnê desse meu primeiro CD”, completou.

Sem mais artigos