O Conselho de Segurança da ONU (Organizações das Nações Unidas) realiza nesta sexta-feira (25) uma reunião para analisar a grave crise política em Honduras.

A atual presidente do principal órgão da ONU, a embaixadora americana Susan Rice, convocou a reunião, que será realizada a portas fechadas ao meio-dia (horário de Brasília). O encontro acontece em Nova York, na sede da ONU.

Dessa forma, os 15 integrantes do Conselho atendem ao pedido feito na terça-feira (22) pelo Governo do Brasil, que desde segunda (21) recebe em sua embaixada em Tegucigalpa o presidente deposto Manuel Zelaya.

O Conselho de Segurança tinha se mantido até agora praticamente de fora da crise causada pelo conflito, iniciado com o golpe de Estado de 28 de junho passado.

Diplomacia

Entre os cinco membros do Conselho de Segurança com direito a veto, Honduras já não tinha relações diplomáticas com dois deles: Rússia e China.

Há relações hondurenhas com França e Reino Unido, países a partir dos quais se relaciona com o resto do Velho Continente. Ambos já condenaram o golpe que derrubou Zelaya.

No grupo dos membros com direito a veto, as relações mais próximas de Honduras são com os Estados Unidos, que condenaram o golpe, mas não usaram seu peso diplomático e comercial para influenciar decisivamente na resolução da crise, de acordo com analistas internacionais.

Conselho de Segurança da ONU analisa situação de Honduras nesta sexta

Sem mais artigos