A Fundação José Sarney será fechada. Segundo a Folha de S. Paulo, o presidente do Senado decidiu paralisar as atividades da fundação que leva o seu nome em virtude de problemas financeiros. Diante de suspeitas de irregularidades, o Conselho da fundação não encontrou entidades que estivessem dispostas a financiar o espaço.

Segundo Sarney, a Fundação custa cerca de R$ 70 mil por mês. “Sonhei um dia que o Brasil poderia ter uma grande biblioteca com documentos históricos de um ex-presidente. Mas eu estava errado”, disse o presidente do Senado, segundo a Folha.

Ainda não foi decidido o que será feito com o acervo.

Localizada em São Luís, no Maranhão, a Fundação José Sarney guarda o acervo da época em que seu fundador foi presidente do Brasil. Além disso, também armazena livros e papéis colecionados por Sarney ao longo de seus 50 anos na política.

Irregularidades

Em julho, uma reportagem publicada pelo jornal O Estado de S.Paulo informou que ao menos R$ 500 mil dos recursos repassados pela Petrobras para patrocinar um projeto cultural da Fundação Sarney teriam sido desviados para empresas fantasmas e empresas da família do senador. O dinheiro teria ido parar em contas de empresas com endereços fictícios e contas paralelas.

Sem mais artigos