A Coreia do Norte anunciou nesta segunda-feira (8) que duas jornalistas americanas detidas no dia 17 de março foram condenadas a 12 anos de trabalhos forçados por entrar ilegalmente no país. As informações são da agência estatal norte-coreana KCNA.

O julgamento contra as duas jornalistas americanas de origem asiática, Euna Lee e Laura Ling, que trabalham para o meio de internet de San Francisco Current TV, começou no dia 4 de junho. Elas eram julgadas sob acusação de “atos hostis” e “entrada ilegal” no território.

“O julgamento confirmou o grave delito que cometeram contra a nação coreana e seu cruzamento ilegal de fronteira”, por isso que cada uma delas foi sentenciada a 12 anos de internamento em campos de trabalho norte-coreanos, informou a KCNA, citada pela agência sul-coreana Yonhap.

As jornalistas foram detidas no dia 17 de março na fronteira da Coreia do Norte com a China enquanto gravavam imagens sobre o tráfico de mulheres refugiadas norte-coreanas.

Elas mantiveram contatos por carta e por telefone com suas famílias durante os meses que permaneceram sob custódia das autoridades norte-coreanas em Pyongyang.

Sem mais artigos