Longe do Bella Center, local onde ocorrem as negociações, Copenhague ganha outros ares: tem muita coisa acontecendo em inúmeros eventos paralelos, exposições de fotos pela cidade, manifestações, shows, etc. Na praça central de Copenhague, o movimento Hopenhagen faz a festa, com música ao vivo de todo canto do mundo e alguns stands que mostram as inovações tecnológicas sustentáveis.

O principal dos eventos paralelos chama-se KlimaForum, “A Conferência do Clima Popular”, e ao longo dos quinze dias teve uma extensa programação de palestras, oficinas, filmes, e shows.
   
Hoje à tarde participei do primeiro evento realmente inovador e relevante aqui em Copenhague. O jornalista ambientalista britânico George Monbiot moderou uma conversa que durou três horas com os participantes da plenária. A conversa fazia quatro perguntas à plateia:

– Qual é o status atual das conversas sobre o clima?
– Nós queremos que elas sejam bem sucedidas ou que elas sejam um fracasso?
– Como seria um bom acordo sobre o clima?
– Partindo do pressuposto que as conversas sobre o clima fracassaram, como obter o que queremos ano que vem?

Daqui do KlimaForum ninguém tinha uma visão sobre o que estava acontecendo na COP-15 naquele exato instante, apenas sabíamos que as equipes de negociadores técnicos permaneciam negociando e que os chefes de Estado estavam já se reunindo e fazendo seus discursos, com o objetivo de não haver um fracasso geral na conversa. De forma que a primeira pergunta feita por George não surtiu muito efeito.

A segunda pergunta foi a mais polêmica: a essas alturas do campeonato, depois de dez dias de negociação, e à véspera de acabar a Conferência, como você quer que ela acabe? E as opiniões estavam divididas: muitas pessoas querem que acabe como um fracasso, para que fique enfatizada a incapacidade de negociação e de chegar em um resultado que seja positivo para todos. Uma parte (menos da metade) prefere que acabe bem, mesmo que sem um acordo, e apenas com uma carta de intenção. Mas está claro para todos: o acordo ambicioso, justo, e legalmente vinculante certamente não sai nessa COP.

Com relação a “Como seria um bom acordo sobre o clima?”, todos têm isso bem claro: ele deve abarcar nosso estilo de vida, o funcionamento da sociedade, e deve ter mais participação da sociedade civil, não só dos estados. O novo acordo deve, definitivamente, ser mais aberto – exatamente o formato oposto do que se fez essa vez no Bella Center.

E para a última pergunta, sobre como obteremos o que queremos na COP-16 (que acontece em dezembro de 2010 no México), as pessoas presentes no auditório responderam unanimemente: mais união na sociedade civil, melhor articulação entre ONGs, mudanças nos nossos estilos de vida para um estilo de vida mais sustentável, governos mais próximos de sua sociedade.

Pois bem. O KlimaForum já sabe o que quer. Como vamos colocar em prática agora?

Sem mais artigos