(Por Gabriel Codas) A situação já era esperada desde a semana passada, mas o cenário foi confirmado no último domingo (25). De acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), o Produto Interno Bruto (PIB) mundial em 2009 ficará bem abaixo do apontado no relatório apresentado há apenas dois meses. A situação deve se agravar também nos países emergente, com o crescimento econômico ficando entre 1% e 1,5%, pior nível desde do fim da Segunda Guerra Mundial. 

 

Nos últimos quatro meses, o Fundo apresentou três revisões de suas previsões para a economia em 2009. Em outubro, a expectativa de crescimento era de 3%, número que caiu para 2,2% em novembro passado.

 

Os dados ainda não são oficiais, já que os mesmos serão apresentados oficialmente apenas na quarta-feira. O relatório do FMI deve ser um dos principais focos de discussão do Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça.

 

Os números do Brasil também serão conhecidos na quarta-feira (28). No levantamento anterior, o Fundo previa crescimento de 3,5% para este ano, enquanto o Banco Mundial apostava em 2,9%. Já o relatório Focus do Banco Central(BC) aponta alta de 2%.

 

Para a Organização Internacional do Trabalho (OIT), a desaceleração do crescimento global em 2009 vai elevar o número de desempregados no planeta para mais de 20 milhões, com a queda nas vendas do comércio e a redução sensível dos investimentos. No Brasil, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) aponta que parar manter os empregos, o país precisa crescer ao menos 4% no ano.

Sem mais artigos