A bancada do DEM decidiu nesta terça-feira (1º) obstruir as votações do plenário e das comissões da Câmara dos Deputados para pressionar o governo a retirar o pedido de urgência constitucional dos quatro projetos de lei que tratam do marco regulatório do pré-sal.

“A obstrução é para mostrar que o Congresso Nacional tem coluna vertebral e não pode se curvar à imposição do Executivo”, disse o líder do DEM, Ronaldo Caiado (GO).

Para Caiado, não há necessidade de urgência para votação dessas propostas. Segundo o deputado, o governo discutiu a matéria durante mais de um ano e agora quer que o Congresso Nacional vote a proposta em 90 dias.

“A obstrução é também para mostrar que o governo quer desviar o foco, por não ter como explicar a falta de recursos para o combate à gripe suína, para atender a saúde e para acobertar a mentira da ministra Dilma Rousseff”, disse Caiado.

Ele se referia ao suposto encontro que a ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira afirma ter tido com a ministra-chefe da Casa Civil no fim do ano passado. Segundo Lina, no encontro, a ministra teria pedido que a Receita apressasse as investigações sobre negócios da família Sarney. Dilma nega o encontro e o pedido

Caiado informou ainda que a bancada democrata esteve reunida com um especialista da área de petróleo, Adriano Pires, que mostrou aos deputados incertezas e falhas no projeto de exploração do pré-sal.

Agora à tarde, os líderes do DEM, PSDB e PPS reúnem-se para tomar uma posição conjunta sobre as medidas a serem adotadas contra as propostas do pré-sal.

Sem mais artigos