A mistura de ficção científica e crítica à xenofobia em relação aos imigrantes ilegais levou <i>Distrito 9</i>, com uma arrecadação de US$ 37 milhões, ao topo da bilheteria dos cinemas dos Estados Unidos.

O estúdio Sony Pictures recuperou em apenas três dias todo o investimento feito no filme, que teve um orçamento de US$ 30 milhões, e já está lucrando, embora o elenco não inclua nenhum ator famoso.

O filme foi desenvolvido pelo diretor estreante <b>Neill Blomkamp</b>, que baseou a história em seu curta-metragem <i>Alive in Joburg,/i>, e do produtor <b>Peter Jackson</b>, que decidiu apoiar esta obra depois que o projeto de <i>Halo</i>, que seria dirigido pelo próprio Blomkamp, não decolou.

<i>G.I. Joe: A Origem de Cobra</i> perdeu uma posição e ficou em segundo, depois de levantar US$ 22,5 milhões, acima da estreia do romântico <i>The Time Traveler’s Wife</i>, protagonizado por Eric Bana e <b>Rachel McAdams</b>, com US$ 19,2 milhões.

Em quarto se situou uma das revelações da temporada, o drama <i>Julie & Julia</i>, com Meryl Streep e Amy Adams. O filme faturou US$ 12,4 milhões neste fim de semana, e já arrecadou US$ 43,7 milhões desde 7 de agosto. A lista dos cinco filmes mais vistos se completa com a animação <i>Força G</i>, com US$ 6,9 milhões.

A comédia <i>The Goods: Live Hard, Sell Hard</i>, com Jeremy Piven (<i>Entourage</i>), ganhou US$ 5,2 milhões e ficou em sexto, à frente de <i>Ponyo</i>, do japonês Hayao Miyazaki, que somou US$ 3,5 milhões.

Apesar de ter arrecadado US$ 2,3 milhões, o musical para adolescentes <i>High School Band</i>, com Vanessa Hudgens, de <i>High School Musical</i>, não conseguiu entrar na lista dos dez mais vistos.

Sem mais artigos