Ser fã não é uma tarefa fácil. É preciso descobrir a agenda do ídolo, ficar de olho nas aparições na televisão e juntar dinheiro para ir aos shows. Além dessa maratona toda, fã que é fã gosta de carregar o ídolo no peito. É desse amor pelas bandas atuais que começou uma sociedade entre dois amigos para preencher um vazio que existia na música jovem brasileira. A Domination Merch surgiu para deixar nítida a apreciação de muita gente por determinada banda, e além disso, mostrar que não só os rockstars estão na moda.

Rafael Maroni e Eric Gonçalves, ambos com 20 anos, frequentam shows há anos e criaram vínculos de amizades com várias bandas. No começo de 2007, eles decidiram montar uma empresa de merchandising, que são os produtos oficiais dos artistas. A primeira banda com a qual eles trabalharam, e trabalham até hoje, é o Gloria. O sucesso foi tão grande que as bandas Cine, Fake Number e Strike também entraram para a lista dos assessorados. O “merch” produzido pelos amigos já é conhecido em todo Brasil. Eles se desdobram para vender seus produtos nos shows e também efetuar negócios pela internet.

O Virgula conversou com Rafael, um dos sócios da Domination Merch. Ele contou, entre outras coisas, que o rock perdeu a obrigatoriedade de ser referenciado pela cor preta. Quer saber o porquê? Leia a entrevista na íntegra!

Virgula: Como surgiu a iniciativa de trabalhar com as bandas que mais estão crescendo no Brasil?
Rafael: Na verdade, a gente não sabia que todas as bandas iriam ter um espaço legal na música brasileira. A gente começou trabalhando com o Gloria, que nos cedeu o espaço. Somos gratos por isso, porque eles ganharam público e, com isso, a procura por camisetas, bottons e adesivos foi aumentando. A mesma coisa aconteceu com o Cine e com o Fake Number. Recentemente fizemos um acordo com o Strike e vamos trabalhar com o novo merchandising deles.

Virgula: Além das tradicionais camisetas, que todo fã quer, o que mais a Domination Merch vende?
Rafael: Temos camisetas de todas as cores, shortinhos para garotas, moletons para os dias frios e adesivos.

Virgula: As bandas que vocês trabalham são de estilos diferentes. O som de cada uma é levado em conta na hora da confecção do merch?
Rafael: É totalmente levado em conta. A gente produz as camisetas, por exemplo, de acordo com o que a banda toca. O Gloria tem um lado mais roqueiro, é uma coisa mais dark e com menos cor. Com o Cine, nós começamos a explorar as cores. Deu tão certo que repetimos com a Fake Number. As nossas camisetas vão do preto ao azul turquesa, obviamente respeitando a identidade de cada banda.

Virgula: O rock perdeu a obrigação de ser da cor preta?
Rafael: Com certeza. O merchandising, junto ao rock, criou algo totalmente comercial. Não existe mais aquele negócio de uma camiseta de banda ter só o logo. Os fãs têm uma preocupação em se vestir e nós acompanhamos isso. Eu já fiz vendas que o cliente nem conhecia a banda. As pessoas estão comprando pelo modelo da camiseta e pela estampa.

Virgula: Esse rock mais colorido é algo totalmente brasileiro? E os preços das camisetas?
Rafael: De forma alguma. É algo que está ganhando espaço por aqui. Lá fora, o rock já está mais colorido há algum tempo. O preço é acessível: em média, R$ 20 cada peça.

Confira ao lado algumas das camisetas confeccionadas pela Domination Merch.

Serviço:

Domination Merch (Rafael ou Eric): www.fotolog.com/dominationmerch

Sem mais artigos