A fusão da Sadia e da Perdigão recebeu sua primeira contestação no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). A decisão de questionar a união das empresas partiu da alemã Dr.Oetker, que tem interesse em aumentar sua presença no mercado brasileiro.

A Dr.Oetker atua no Brasil desde a década de 30. A companhia é conhecida por produtos como chás e gelatinas, só que também atua nas áreas de aromas, fermentos, sobremesas, confeitos, snacks, misturas para bolos e tortas.

O intenção da empresa está relacionada com o segmento de pratos prontos e por isso tenta impedir a fusão ou conseguir restrições. No exterior, a Oetker possui uma linha completa de iogurtes, sobremesas prontas refrigeradas e pratos congelados. No Brasil, ela atua apenas om a marca Dr.Oetker Ristorante, de pizza pronta congelada.

Dentro do segmento de pizza congelada, a empresa teria uma participação de apenas 1% do mercado. Já as marcas que fazem parte da Brasil Foods detêm juntas 83% do volume de vendas.

Em entrevista ao jornal Valor Econômico, Juliano Maranhão, advogado do escritório Sampaio Ferraz, contratado pela multinacional alemã, mostrou preocupação com a fusão. “A Oetker está muito preocupada com a concentração, principalmente no segmento de pizzas prontas congeladas, e também teme possíveis práticas anticompetitivas nos canais de distribuição”.

Maranhão disse que uma consultoria foi contratada para diagnosticar como ficará o mercado com a fusão. Além da concentração no mercado, a preocupação é com a dificuldade para que novas empresas ingressem no setor.

A Oetker quer pressionar o Cade para que este imponha restrições à fusão. Isso poderia obrigar a venda de marcas e ativos em segmentos com alta concentração no mercado. Com a necessidade de venda de operações, a Oetker poderia fazer aquisições e aumentar sua participação no mercado.

Dr. Oetker questiona fusão Sadia-Perdigão

Sem mais artigos