A música sertaneja até pouco tempo era considerada brega por muitos, principalmente pelos jovens, mas esse cenário mudou. O sertanejo universitário cresceu e diversas duplas “inflacionaram” o mercado com sucessos que ficaram na ponta da língua dos jovens.

O Virgula Girls & Boys esteve presente no show da dupla Jorge e Mateus, que apresentou o novo álbum, O Mundo é Tão Pequeno, e também no coquetel de lançamento do CD e DVD Marcos e Belutti Ao Vivo para conferir o que as duplas acham do atual momento da música sertaneja e do público que lota as apresentações.

Jorge e Mateus
No dia 30 de julho a dupla de Goiânia Jorge e Mateus tocou no HSBC Brasil para apresentar o novo CD, que traz um repertório tradicional com influências contemporâneas. “Gostamos muito do sertanejo e adicionamos alguns elementos em nossas músicas. Com isso, atingimos os jovens primeiro e depois chegamos às outras idades. Além disso, o sertanejo fala de sentimentos que todo mundo conhece e sente, como o amor, que atinge todas as idades.” No show é bem possível ver isso pelas músicas apresentadas, desde as músicas dos dois CDs, até as músicas com elementos do rock, pop e do axé.

E para quem acredita que cantor sertanejo só ouve música do gênero está enganado. A dupla gosta sim de ouvir João Bosco e Vinícius, Bruno e Marrone, Cristian e Ralf, Leonardo, Daniel, entre outros. Mas o Jorge se mostrou também fã de música latina (Luís Miguel e Maná), MPB (Elis Regina, Ana Carolina e Maria Rita), além de O Rappa, Alexandre Peixe e música eletrônica. Já o Mateus disse que gosta de música eletrônica progressiva, Alexandre Peixe, Asa de Águia, The Killers, John Mayer e O Rappa.

Marcos e Belutti
Em um coquetel realizado no Cortez Bar, em São Paulo, na última segunda-feira, a dupla fez um pocket show para apresentar seu mais novo trabalho, Marcos e Belutti Ao Vivo. Indagado se eles costumam fazer música para atingir todos os públicos Belutti diz: “Nós sempre buscamos gravar e fazer músicas que tenham a ver com a gente. Às vezes nas músicas mais comerciais não dá pra mostrar muito a qualidade. Mas no caso desse CD é diferente, pois essas músicas e também as românticas e mais agitadas têm a ver com a gente e com situações que as pessoas passam, então isso acaba conquistando todo tipo de público”.

Algumas pessoas que curtem o estilo há muito tempo, antes da febre do sertanejo universitário, chegam a se incomodar com o termo “sertanejo está na moda”. Mas Marcos diz que isso não o incomoda, pois “o sertanejo sempre esteve aí, eu só posso dizer que ele está mais na moda do que antes. Os jovens já estão ouvindo moda de viola, correndo atrás de saber mais”. A respeito do preconceito que eles ainda sofrem, pois alguns cantores ainda olham torto ou criticam a música sertaneja, ele diz: “Uma vez escutei que quem critica o que o povo gosta não sabe para quem está cantando”.

A dupla também mostra que tem um gosto musical eclético. “Além das modas de viola, as músicas de João Paulo e Daniel, João Bosco e Vinícius, Jorge e Mateus, gosto de ouvir Panic At The Disco e também comprei um CD com Linkin Park e Jay-Z”, disse Marcos. Belutti também curte ouvir João Paulo e Daniel, Bruno e Marrone, João Mineiro e Marciano, “mas também gosto de Roupa Nova, Michael Bublé e Luís Miguel, que é a minha maior escola da música. Nós pretendemos colocar algum dia um momento para cada um da dupla cantar o que quiser no palco e com certeza eu mandaria algo como Alejandro Sanz”, revela.

Sem mais artigos