O atacante brasileiro Edu, que jogará no Internacional de Porto Alegre após nove anos na Espanha, despediu-se hoje da torcida do Bétis “com a cabeça erguida, mas dolorido, porque a equipe está na segunda (divisão)”.

O jogador, de 30 anos e que ficou no Bétis por cinco campanhas, disse que “custa se despedir do Bétis e sair de Sevilha, onde tenho tantos amigos”.

“Durante muito tempo, me passou pela cabeça a possibilidade de sair do Bétis mas, no início da temporada passada, me dei conta de que não podia continuar. Não vou embora por causa da queda, mas por tudo o que aconteceu no ano passado. Não fui tratado da forma mais correta”, disse Edu.

O jogador evitou falar sobre o executivo-chefe do Bétis, Manuel Ruiz de Lopera, já que “tudo o que tinha que dizer-lhe, disse na cara”, e acrescentou que insistir nas críticas seria “tirar mais sangue da ferida da torcida, muito triste pela queda”.

Edu negou que tenha cogitado ir ao Sevilla. No entanto, afirmou que “houve alguma opção, mas a possibilidade real foi há cinco anos”, e disse que não se arrepende de ter ido ao Bétis, apesar dos momentos difíceis.

Sobre o futuro imediato de sua ex-equipe, o brasileiro disse que “o Bétis está em boas mãos” e, embora não tenha falado com ele, afirmou sobre o novo treinador, Antonio Taipa, que “é uma boa pessoa, e tomara que suba o mais rápido possível”.

Edu acrescentou que vai embora imediatamente ao Brasil para zer exames médicos com o Internacional e “iniciar uma nova etapa com toda a esperança do mundo, após nove anos na Europa”.

Edu volta ao Brasil "dolorido" por deixar Bétis na 2ª divisão

Sem mais artigos