É, vocês pediram, leitores, e a gente conseguiu. Conversamos com ele, Marcos Mion, o menino-prodígio da MTV que está abandonando a casa e se mandando para a Record no final do ano. Apesar de sua assessoria confirmar que ele cumpre seu contrato e depois sai da MTV, este é um assunto sobre o qual Mion não quer falar ainda.

Mas tudo bem, falemos de outras coisas: do Twitter, onde ele tem um perfil super bombado, de Marcelo Adnet, que vai apresentar o VMB no lugar de Mion este ano, e também sobre sua expectativa de receber um prêmio no evento. Confira as respostas abaixo!

Na TV, você usa gírias de mano. Mas, na vida real, tem sociedade com figuras que os manos enquadrariam como playbas. Como você concilia esses dois extremos na sua personalidade?
 
Acredito que tudo se torna mais interessante e mais completo, no sentido de abranger um grande público, quando não tem preconceitos agregados. Na minha opinião, um bom apresentador e um bom empresário tem a obrigação de circular por todos os meios e classes sociais, não apenas “manos” e “playboys”, como você citou, mas também emos, gays, punks, pobres, ricos, judeus, católicos etc.
 
Eu aprendo e me divirto sempre, independentemente da tribo em que estou. Circular entre todas as rodas é um mérito, que valorizo muito e que cultivo sempre. Juntar opiniões completamente diversas é a grande sacada pra tornar algo interessante.

Você mantém um perfil mega bombado no Twitter (@mionzera). Você acha que essa popularidade toda vem da TV pra internet ou o público do Twitter um um público diferente, gente da web mesmo?

Acredito que o Twitter é a maior ferramenta “fidelizadora de público” que já foi inventada! Te coloca em contato direto com os fãs e com o público em geral. Fico uma hora ao vivo no ar todo dia, mas no Twitter estou 24 h, sem roteiro, falando de tudo, doa a quem doer. Por isso acho que o público do twitter é uma grande mistura. Com certeza atrai a galera que curte meus programas, que vem atrás de um contato mais direto, de uma quebra de barreiras impostas pela tela da TV, mas também uma grande parte da população que não tem como assistir TV e acompanhar no dia-a-dia, e que tem ali a chance de se integrar com aquela pessoa que acha bacana.
 
E seu lado empresarial, como anda? Ainda tem grife de roupa e boné? Ainda é sócio da Disco? O que mais anda fazendo nessa área?
 
O lado empresarial está firme e forte como nunca! Hoje divido meu tempo, além da TV, entre a V.Rom (grife de roupas masculinas), a Disco (boate), o Yabany (restaurante japonês), a Casa Pizza (obviamente, uma pizzaria) e o 2 Santos (um hotel-boutique no interior de SP).
 
Você vive dizendo que é fã das músicas do Cocoricó e dos desenhos que teu filho curte. Por que gosta tanto de produções feitas para crianças?
 
Não gosto de todas. Tem muita porcaria sendo feita. A intenção de agradar pais e filhos no mesmo filme, que é a última grande moda, é um grande erro, na minha opinião. Filme de criança é filme de criança! Pai que não consegue se transportar para o mundo deles por uma hora e meia para levá-los ao cinema ou ao teatro não deveria nem ir! Vejo todos estes filmes com a falsa pretensão de agradarem a “toda família” como uma violência para as crianças, expondo-as a situações, sentimentos e sensações com que ainda não estão preparadas para lidar.
Fazem uma animação, enfiam algum animal fofinho, o que já é o suficiente para as crianças se interessarem e, chegando lá, o inserem em contextos totalmente adultos! Não tem cabimento. Por isso gosto do Cocoricó, da Ninoca, do Backyardigans, do Charlie e Lola – desenhos de crianças PARA crianças. Porra, voê já viu os primeiros 10 minutos do Bambi? É o filme mais triste do mundo! Como que uma criança de 4, 5, 6 anos vai lidar com a violenta morte da mãe do bichinho? E o Rei Leão? O pai morre na frente do filho tentando salvá-lo! E o Pinóquio? É A TRISTEZA SEM FIM! Sou contra vários clássicos.

A MTV muda anualmente a programação e os VJs. Mas só dois formatos e personalidades parecem sobreviver intactos no canal: os seus e os do João Gordo. Você sente que faz a mesma coisa na MTV desde que a fórmula do Piores Clipes deu certo?

Pelo contrário! Todo ano a MTV me pede um novo projeto! Lógico que o espírito, a idéia, a “falta de regras”, o improviso, a falta de papas na lingua e o descompromisso do Piores Clipes foram uma gigantesca sacada minha que dá certo até hoje, como você pode ver no Descarga. Todo jovem quer ver alguém assim na TV. É identificação pura! Sempre me pego pensando durante o programa: “Cara**o! Eu acabei de dizer (ou fazer) isto mesmo em rede nacional?!”. A anarquia impera naquele estúdio! Mas desde lá eu já fiz tantos programas. Todo ano eles me trazem um novo desafio, algo que estão querendo provar, criar…e quem faz? Eu! Nesta leva você pode incluir o Covernation, o Mucho Macho, o 5a Categoria (tanto o com o Cazé quanto o atual), o The Nadas, entre outros…

Você já afirmou ter orgulho de ser a pessoa que mais vezes apresentou o VMB. Mas este ano escolheram o Adnet. Rola um ciuminho com a premiação?

Lógico! Sempre rola! Mesmo quando eu estava na Bandeirantes, fora da MTV, rolava! Eu acho o VMB a noite mais legal do cenário pop/show/premiação no Brasil e apresentá-lo é uma tarefa muito desafiadora. Fazer pequenas intervenções é fácil, é colocar a cereja no sundae. Agora… apresentar, levantar aquele Boeing, é que é o grande desafio! Mas o Adnet é um menino muito talentoso que já viu de perto como tudo funciona no ano passado. Estará preparado, mas é um tanto kamikaze: no país em que vivemos hoje, por mais genial que você seja, sempre vai ter um espírito de porco pra falar mal. Aliás, o que será que um artista tem que fazer hoje em dia pra ser elogiado, não é? Se até filme em Hollywood é motivo pra piada e deboche, eu não sei o que eles querem da gente. Mas o ciúme passou, afinal estou com a real chance de ser o único VJ que subiu ao palco do VMB não pra entregar, mas para ganhar um prêmio, e isto é muito legal, um fato marcante pra história do canal. Tô torcendo muito pra que aconteça!

O que acha da imitação que o Adnet faz de você? Acha que parece?

Acho SENSACIONAL! Racho o bico! Ele já fazia esta imitação há muito tempo, é que só agora começou a ir para o ar! Eu adoro!

Sem mais artigos