Quatro meses se passaram e o mundo do esporte tem 2009 como o ano das zebras, onde acontecimentos não costumeiros têm se tornado rotina. Seja na Fórmula 1, basquete, vôlei, futebol ou tênis, as ocorrências que “assustam” são muitas.

Após muitos vice-campeonatos que lhe fez ganhar até uma homenagem da torcida do Botafogo com a música “Vice é o Cuca”, o treinador Alexi Stival, ou simplesmente Cuca, sagrou-se campeão pela primeira vez na carreira. Frente ao seu ex-time, o técnico comprovou ter talento, e levantou a taça do Campeonato Carioca pelo Flamengo, torneio perdido nos últimos dois anos pelo comandante.

Ainda dentro das quatro linhas, a zebra também deu as caras na Copa do Brasil. Ou alguém acreditava mesmo que o CSA, mal no campeonato de Alagoas, pudesse vir na Vila Belmiro e surpreender com uma vitória por 1 a 0, eliminando o Peixe da Copa do Brasil?

Voltando ao quesito títulos, a Ponte Preta, 108 anos de história e tradição no futebol paulista, finalmente comemorou sua primeira conquista. A agremiação campineira, que foi vice-estadual em 2008 diante do Palmeiras, se sagrou campeã do interior contra o Barueri no último fim de semana.

Nos gramados do Minas Gerais, como diria a letra do hino do Cruzeiro, o atacante Diego Tardelli, do Atlético Mineiro, comprovou que o esporte está de ponta cabeça. Questionado no São Paulo, Flamengo, PSV e até no São Caetano, o jogador se tornou artilheiro do campeonato estadual.

Quem será o campeão francês desta temporada? O Lyon pela oitava vez consecutiva? É, as chances são pequenas, pois na França tudo mudou. O Olympique de Marselha e o Bordeaux tem 68 pontos contra 61 da equipe do meia Juninho Pernambucano, e restam apenas 12 pontos em disputa.

Santos, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, França. A zebra viajou por muitos gramados no esporte em 2009. Mas a maior delas passou pela Bolívia. Os argentinos foram até o país de Evo Morales e sofreram uma goleada história por 6 a 1, a primeira derrota de Maradona no comando da Argentina.

Cansada de ser destaque no futebol, a loucura do mundo do esporte resolveu dar as caras na Fórmula 1. Quem diria que após quase se aposentar, o piloto Rubens Barrichello, agora na Brawn GP, chegaria na quinta corrida da temporada na segunda colocação do campeonato de pilotos (com chances de brigar pelo título) pela primeira vez em sua longa carreira?

Falar de tênis hoje em dia é lembrar de Nadal. Porém, o espanhol sempre teve Roger Federer como um grande adversário nas decisões, o que não acontece em 2009. O suíço deixou o mundo do tênis de ponta cabeça ao simplesmente deixar de chegar às finais, perdendo para Wawrinka, Djokovic, entre outros.

Após 12 anos, o Brasil tem um novo presidente na Confederação Brasileira de Basquete. É, por incrível que pareça, Gerasime Bozikis, o Grego, deixou o comando da entidade para a entrada de Carlos Nunes. Sob a liderança do ex-presidente, o país não chegou nenhuma vez nas Olimpíadas no basquete masculino.

Um dia fecha a porta e, no seguinte, retorna às atividades. Nada mais maluco no esporte que a situação do Osasco no vôlei. A equipe feminina decretou seu fim ao perder o patrocínio da Finasa, mas menos de uma semana depois, recebeu apoio da prefeitura local e de empresários, e voltou a existir.

Sem mais artigos