O Governo dos Estados Unidos assegurou hoje que suas relações com a América Latina foram revitalizadas, em resposta à afirmação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de que o líder americano Barack Obama se esqueceu da região, apesar da mudança prometida.

“Pusemos muito tempo e esforço em revitalizar o processo interamericano através da Organização dos Estados Americanos (OEA). Nomeamos um de nossos melhores diplomatas como embaixador no Brasil”, assegurou o porta-voz do Departamento de Estado, Ian Kelly, em sua entrevista coletiva diária.

“Desejamos que Arturo Valenzuela seja nosso próximo secretário de Estado adjunto (para a América Latina) e fizemos esforços extraordinários para resolver a crise em Honduras”, continuou. Por isso, considerou que os EUA “revitalizaram realmente suas relações com a América Latina”.

Lula disse que Obama se esqueceu da América Latina após ter prometido uma nova relação com o continente na Cúpula das Américas, realizada em abril em Trinidad e Tobago.

Segundo o presidente brasileiro, após a cúpula, na qual Obama prometeu uma nova era de relações com a América Latina, baseada na cooperação e no respeito mútuo e não na imposição de ideias e iniciativas, o líder americano se esqueceu da região.

“Eu disse ao presidente Obama depois dessa reunião que ele estava dando um pontapé inicial para estabelecer uma relação mais produtiva com a América Latina. Mas a realidade é que não houve nada depois disso, a não ser o golpe (de Estado) em Honduras”, afirmou.

Para Lula, “as preocupações com o Iraque e o Afeganistão e o plano de saúde não estão permitindo que Obama dedique uma maior atenção à América Latina”.

“Considero importante que os EUA tenham mais interesse na América Latina para que possamos consagrar definitivamente uma dinâmica de paz e vinculação com o continente”, disse.

Lula também criticou o acordo que permite que soldados americanos utilizem bases militares na Colômbia e exigiu novamente garantias de que as operações se limitarão a território colombiano.

Sobre as supostas preocupações dos EUA com o presidente venezuelano, Hugo Chávez, comentou que é algo mútuo. “Não sei se os americanos deveriam estar preocupados com Chávez ou Chávez com os americanos. Um discurso justifica o outro”, disse.

As declarações de Lula foram feitas durante um café da manhã na quinta-feira em Londres com os editores do jornal “Financial Times”

Em resposta a Lula, EUA dizem que relações com A.Latina foram "revitalizadas"

Sem mais artigos