“Comecei no compacto, depois passei para LP, CD e, agora, DVD. E espero gravar ainda em tudo mais que vier”. Com 35 anos de uma carreira fantástica, demorou – e muito – para que Geraldo Azevedo lançasse seu primeiro DVD, que foi gravado em novembro do ano passado no Circo Voador, no Rio de Janeiro.


 


E o pernambucano provou, com Uma Geral do Azevedo, que é mesmo daqueles artistas que enchem um DVD de grandes sucessos e, ainda assim, ficam de fora muitas canções.


 


O cantor, compositor e instrumentista, responsável pelas inesquecíveis Dia Branco, Táxi Lunar e Bicho de Sete Cabeças, lançou o trabalho na noite de sábado (31), no HSBC Brasil, na capital paulista.


 


A performance emocionou o público, fazendo um apanhado da obra do artista. Diferentemente das apresentações comuns de Azevedo, que normalmente contam com um ou dois instrumentistas de apoio, esse foi, literalmente, um grande show: acompanham o cantor duas backing vocals, tecladista, percussionista, guitarrista, flautista, baixista e baterista.


 


No palco, Geraldo contou que se empolgou com a imensa banda para tocar muito forró. No meio do show, inclusive, ele lançou uma sequência de seis canções do gênero. Até mesmo os mestres Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro foram homenageados. O público, que assistia ao show sentado em suas mesas, acabou se levantando e ensaiando alguns passos de dança.


 


Mas nem só de forró vive o artista. Suas músicas mais bonitas são aqueles clássicos do cancioneiro regional, a exemplo de Dona da Minha Cabeça, Chorando e Cantando e Caravana. E foram nesses momentos que a plateia mais se empolgou e cantou as letras poéticas de Azevedo.


 


Uma das últimas músicas do show foi a emocionante Canção da Despedida. O cantor fez questão de dizer que ela não entrou no DVD porque não foi liberada por seu compositor, Geraldo Vandré. Uma grande perda, mas que não tira a genialidade do DVD, imperdível para os fãs do artista.

Sem mais artigos