Lançado há menos de quinze dias, um serviço telefônico francês oferece oportunidade para os católicos confessarem seus pecados ao custo de € 0,34 (R$ 0,82) por minuto. A polêmica iniciativa passou a ser questionada pela Igreja Católica, que exige o encerramento do sistema.

O Le Fil du Seigneur (Linha do Senhor, em tradução livre) é uma ideia de Camille Hautier, que declara ser católica e argumenta que o serviço não oferece a absolvição dos pecados, algo que apenas um sacerdote da igreja pode proporcionar. “A ideia é confessar os pecados que não são capitais, mas apenas os pecados menores”, disse.

Ao ligar para o serviço, uma gravação de voz masculina indica: “Para conselho de confissão, aperte um. Para ouvir algumas confissões, aperte três. Em caso de pecados graves ou mortais, é indispensável procurar um padre”. Cerca de 300 pessoas recorreram ao serviço na primeira semana. Elas não interagiram com nenhuma voz humana, apenas ouviram músicas e orações que tentam criar um ambiente de reflexão, segundo Hautier.


Anúncio diz: “Com a ‘Linha do Senhor’ você se confessa pelo telefone” (Reprodução/Lefilduseigneur.com)

Segundo os bispos da França, a linha não foi aprovada pela Igreja Católica. “É inaceitável permitir essa confusão sobre o conceito de confissão. Para os fiéis, a confissão sacramental tem um significado e exige a presença real de um padre”, explica a cúpula da Igreja.

“Se fosse um serviço gratuito para ajudar as pessoas com músicas religiosas ou orações, eu acho que seria autenticamente cristão”, pondera Frédéric Lenoir, diretor da revista Le Monde de Religiões. “Mas este serviço é comercial. Não há diferença entre ele e um telefone para ouvir o horóscopo”.

Já o Le Fil du Seigneur declara em seu site que o objetivo é incentivar a confissão de jovens em um época de decadência do catolicismo. Na França, o número católicos caiu de 80% da população no início dos anos 90 para 67% em 2000. Hoje, o índice está em 51%.

Empresa francesa oferece serviço de disk-confissão

Sem mais artigos