O sindicato das enfermeiras da Holanda lançou uma campanha para esclarecer que serviços sexuais não fazem parte do trabalho das agentes de saúde.

A iniciativa foi lançada depois que um deficiente físico de 42 anos ficou irritado e tentou demitir uma enfermeira que se recusou a fazer sexo.

De acordo com o sindicato, a enfermeira de 24 anos que cuidava do deficiente fez uma denúncia e disse que testemunhou outras companheiras de profissão oferecendo os tais “serviços sexuais”.

“Este tipo de ação não faz parte das responsabilidades e do trabalho das enfermeiras”, esclarece o sindicato.

Sem mais artigos