Argentina e Espanha, duas seleções que
certamente estarão entre as favoritas na Copa de 2010, fazem amanhã
um amistoso no estádio Vicente Calderón, em Madri, às 17h45 de
Brasília.

A partida para celebrar o centenário da federação espanhola de
futebol nada tem de amistosa: enquanto a Argentina de Diego Maradona
busca afirmação em meio a uma campanha irregular nas Eliminatórias
Sul-Americanas, os comandados de Vicente Del Bosque querem confirmar
o excelente desempenho na disputa europeia.

Após carimbar o passaporte à África do Sul com campanha impecável
– dez vitórias em igual número de jogos no grupo 5 das Eliminatórias
– os campeões da Eurocopa querem mostrar que a boa fase não é fruto
do acaso.

No entanto, Vicente del Bosque não terá o atacante Fernando
Torres, uma de suas principais armas. A ausência o forçará a escalar
a equipe com cinco homens no meio-campo e apenas Villa na frente.

Já os argentinos vêm de uma classificação dramática contra o
Uruguai, com uma vitória em Montevidéu, e precisam mostrar uma
imagem melhor principalmente fora de campo, diante das ofensas de
Maradona à imprensa após a partida no Centenário.

Uma fonte da federação argentina de futebol confirmou à Agência
Efe que Maradona viajará à Suíça no próximo domingo, um dia depois
da partida, para se explicar à Comissão Disciplinar da Fifa.

“Tenho memória. Aos que não achavam que iríamos à Copa, com
perdão às damas aqui presentes, que ‘chupem’ e continuem ‘chupando”,
disparou o treinador depois do duelo com os uruguaios.

Uma das armas da seleção é o meia-atacante Lionel Messi, do
Barcelona. Ele foi defendido pelo técnico em uma entrevista coletiva
concedida após um treinamento.

“Ele está sob muita responsabilidade. Fez tudo o que lhe pedi e
estou muito feliz com seu trabalho. Agora que as Eliminatórias
acabaram, ele tem que liderar a seleção e está ciente disso. Temos o
melhor jogador do mundo e vamos escalá-lo. Ele me parece muito bem,
com vontade”, disse o treinador.

Maradona colocou os atuais campeões da Eurocopa como favoritos
para a partida.

“Os espanhóis são favoritos, como dizem. Não há dúvidas de que
estão em um momento brilhante, mas vou lutar com meus jogadores até
o último segundo”, garantiu.

A única dúvida é o atacante Sergio Agüero. Recuperando a forma no
Atlético de Madri desde a chegada do técnico Quique Flores, ele
sofre dores na coxa direita e pode ficar de fora.

Sem mais artigos