O governo espanhol quer que suas empresas participem da construção do trem de alta velocidade que ligará o Rio de Janeiro a São Paulo. A obra está orçada em cerca de US$ 18 bilhões.

Este é um dos objetivos em curto prazo dos investimentos espanhóis no Brasil e sobre os quais a vice-presidente da Espanha, María Teresa Fernández de la Vega, conversou na terça-feira (4) em Brasília com 30 representantes de empresas da Espanha que têm interesses no país.

Em seu discurso inicial, a vice-presidente não fez alusões concretas ao projeto do trem de alta velocidade, mas fontes da delegação espanhola expressaram sua esperança de que suas empresas estejam presentes na obra.

Regras

No dia 17 de julho, o Governo brasileiro apresentou o calendário de licitação do trem, com a intenção de unir Rio e São Paulo antes da Copa do Mundo de 2014, no Brasil.

O resultado da concessão será publicado até meados de setembro e as obras deverão começar no início do segundo semestre de 2010, segundo os cálculos do Ministério dos Transportes.

O orçamento chegará a R$ 34,6 bilhões e inclui a construção de 510,8 quilômetros de linha férrea entre Rio e Campinas, no interior de São Paulo.

A velocidade máxima do trem será de 350 km/h, o que permitirá cobrir a distância entre Rio e São Paulo em uma viagem de apenas 1 hora e 33 minutos, sem paradas.

Liderança espanhola

María Teresa destacou que a Espanha conta com empresas que são líderes em setores como os de telecomunicações, energia, serviços financeiros, setor têxtil, distribuição alimentícia e desenvolvimento de transportes e infraestruturas.

Depois de garantir o pleno apoio governamental, María Teresa explicou que a relação comercial bilateral ainda pode ir além, graças ao plano integral de desenvolvimento de mercados para o Brasil – que conta com um orçamento de quase 210 milhões de euros, para o período compreendido entre 2008 e 2010 – assim como o futuro acordo entre a União Europeia e o Mercosul.

Este último é um dos motivos principais da visita da vice-presidente do governo espanhol ao Brasil, já que a Espanha deseja impulsionar as negociações entre os dois países durante seu período ocupando o cargo rotativo da Presidência da UE, no primeiro semestre de 2010.

María Teresa também deve se reunir nesta quarta-feira com o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, o que marcará o final de sua visita oficial a Brasília.

Sem mais artigos