Apesar da Espanha viver um momento econômico delicado, onde cerca de 20% da população está desempregada, a marca espanhola Zara planeja uma expansão de suas lojas de roupa. No entanto, mais da metade das novas lojas serão abertas em países asiáticos. As informações são da edição desta sexta-feira (11) do jornal El País.

O vice-presidente do grupo, Pablo Isla, explicou que somente neste ano foram abertas 266 lojas em todo o mundo, sendo que um terço delas foram no Japão, China e Coréia do Sul. Para 2010, a meta é chegar a 50% do total, tendência que deve seguir nos outros anos. Para  o próximo ano, a marca fará sua estreia na Índia, por meio de uma sociedade com o bilionário grupo Tata.

O fato da rede estar presente em 73 países de quatro continentes permite que o grupo resista melhor à crise. Nos nove primeiros meses do ano fiscal (de fevereiro a outubro) as vendas tiveram um crescimento de 6%. Eliminando o efeito das outras moedas, a expansão chega a 8%.

Apesar dos bons resultados, o terceiro trimestre do ano o crescimento foi de 3,8%, sendo a metade do ritmo do segundo trimestre. O motivo para essa mudança é o fato de algumas moedas terem sofrido um forte processo de valorização.

No entanto, o executivo espanhol antecipou dados de vendas do período atual. Entre agosto e o dia 6 de dezembro, o avanço foi de 9%. A previsão de abrir entre 370 e 450 novas lojas neste ano foi mantida. Para 2010, ele prevê que esse avanço se intensifique.

Cerca de 32% das vendas da Zara são provenientes do mercado espanhol. Para Isla, os dados das vendas internas mostram que a rede está com um desempenho acima da média do mercado.

Sem mais artigos