O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão refez sua estimativa de crescimento real do Produto Interno Bruto (PIB) para este ano, que, pela nova estimativa, passa a ser de 1%. A projeção anterior era de expansão do PIB em torno de 2,1%.

O cálculo do governo é mais otimista que as estimativas de economistas de bancos e consultorias. Segundo a pesquisa semanal do Banco Central com 100 analistas de mercado, o Brasil pode ter, na verdade, uma queda de 0,49% do PIB neste ano, voltando a crescer 3,5% em 2010.

Em nota, o ministério informou que, para a inflação, calculada pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a previsão é de 4,30%, índice um pouco abaixo da meta de 4,5% estabelecida para este ano.

Sobre a programação de despesas para o ano, a nota diz que houve um acréscimo devido à inclusão de novas iniciativas, como o programa habitacional Minha Casa, Minha Vida e o apoio financeiro aos municípios, no valor de R$ 1 bilhão.

O relatório informa ainda que a previsão para a taxa Selic no fim de 2009 passou para 10,25% ao ano, o que prevê que o dólar será de R$ 2,23. A estimativa para a inflação medida pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna  (IGP-DI) é de 2,1%.

Os números constam do Relatório de Avaliação do Segundo Bimestre do Orçamento da União de 2009, elaborado pela Secretaria de Orçamento Federal.

Sem mais artigos