O Senado dos Estados Unidos aprovou um projeto de lei para reduzir as restrições a Cuba. A proposta relaxa restrições a frequência de viagens e ao tempo de estadia de cubano-americanos na ilha, assim como ao valor das remessas enviadas dos Estados Unidos a parentes em Cuba. O Senado também concordou que em aumentar as cotas de envio de comida e remédios ao país.

 

O presidente Barack Obama deve sancionar a lei nesta quarta-feira (11/03). Apesar da diminuição nas restrições, Obama disse que o fim do embargo total só ocorrerá se Cuba fizer reformas significativas, como a realização de eleições democráticas.

 

Do outro lado, as autoridades cubanas consideram a diminuição das restrições uma questão interna do governo americano e não um relaxamento de décadas de embargo. Prova disso é que a televisão estatal cubana não deu destaque ao assunto, segundo informou a BBC.

 

A aprovação da emenda no Senado é a primeira indicação de que o governo de Obama está tomando medidas mais reconciliatórias com o vizinho comunista, o que pode sinalizar mais mudanças na política externa.

 

Cubanos

Mais de um milhão de cubanos residem nos Estados Unidos e as remessas enviadas por eles oferecem uma ajuda importante aos parentes que moram em Cuba, onde o salário médio é de cerca de US$20 por mês. Além disso, cubanos poderão visitar os parentes que moram nos Estados Unidos com mais facilidade.

Sem mais artigos