A Administração de Alimentos e Remédios (FDA, na sigla em inglês) americana aprovou nesta terça-feira as solicitações de quatro fabricantes da vacina contra a nova gripe e garantiu que esta será administrada de forma gratuita a partir de outubro.

A secretária de Saúde americana, Kathleen Sebelius, fez o anúncio durante uma sessão do Comitê de Energia e Comércio da Câmara de Representantes, na qual afirmou que licenças foram concedidas a quatro dos cinco laboratórios que tinham apresentado sua versão da vacina.

O Governo dos Estados Unidos comprou cerca de 195 milhões de doses de vacina, das quais aproximadamente um terço estará disponível ao público no próximo mês, segundo Kathleen.

A secretária confirmou que as vacinas serão administradas nos centros autorizados “sem custo algum para os americanos”.

“O programa de vacinação em grande escala começará em meados de outubro e as primeiras provisões estarão disponíveis na primeira semana do mês”, acrescentou.

Kathleen concretizou, assim, o que ontem já tinha manifestado como esperança: que a vacina comece a chegar à população americana semanas antes do inicialmente previsto.

O diretor do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), Thomas Frieden, concordou com a estimativa da secretária de que as primeiras doses deveriam estar disponíveis “em cerca de três semanas”.

As doses mais adiantadas serão administradas à população considerada de risco pelo CDC, que inclui as mulheres grávidas, os menores de 24 anos, as pessoas que cuidam de bebês, os funcionários do setor de saúde e aqueles com condições médicas preexistentes.

No total, estes grupos somam cerca de 160 milhões de pessoas no país, o que esgotaria a maior parte do fornecimento de vacinas contratada pelo Governo americano.

Sem mais artigos