O ex-deputado estadual do Paraná Fernando Ribas Carli Filho dirigia seu Passat a cerca de 167 km/h quando atingiu um Honda Fit e matou Carlos Murilo de Almeida e Gilmar Rafael Souza Yared. Segundo o inquérito, concluído na terça-feira (11), Carli Filho estava alcoolizado e trafegava em uma velocidade bem acima do limite permitido na via (de 60 km/h). O ex-deputado será indiciado por duplo homicídio com dolo eventual (quando assume o risco de produzir resultado indesejado).

De acordo com o delegado Armando Braga de Moraes Neto, da Delegacia de Delitos de Trânsito de Curitiba (Dedetran), a velocidade de 167 km/h é uma média, visto que o laudo do Instituto de Criminalística apontou que há um desvio padrão de seis quilômetros (ficando entre 161 e 173 km/h).

Além disso, o deputado estava com 7,8 decigramas de álcool por litro de sangue. O Código de Trânsito, no artigo 306, estipula que valores acima de 6 decigramas caracterizam crime. Carli Filho ainda estava com a carteira de habilitação suspensa em função de ter acumulado 130 pontos por infrações de trânsito.

O inquérito, com 668 folhas, será enviado na quinta-feira (13) ao Ministério Público que, anteriormente, já tinha se posicionado pelo indiciamento por dolo eventual. A denúncia segue, então, para a 2ª Vara de Trânsito de Curitiba, que decide pela abertura de processo. Se o entendimento do juiz for de dolo eventual, o ex-deputado deve ser julgado pelo Tribunal do Júri. A pena prevista é de 6 a 20 anos de prisão.

Ex-deputado dirigia a 167 km/h quando bateu carro, diz laudo

Sem mais artigos