Revelado nas categorias de base do Grêmio em 1983, Danrlei de Deus Hinterholz, eterno ídolo da torcida tricolor, anunciou em 2009 o final da sua gloriosa carreira como jogador de futebol aos 36 anos de idade. Em entrevista exclusiva ao VirgulaEsporte, o ex-camisa 1 revelou os planos para o futuro, o sonho em ser deputado e a vontade de treinar uma equipe um dia.

Jogo de despedida

“Marquei um amistoso para o dia 12 de dezembro. Será um combinado de atletas que jogaram comigo durante toda a carreira contra o time do Grêmio de 1995, se eu conseguir reunir todos, é claro”.

Deputado

“Eu tenho um projeto político, que é o meu foco principal. Vou me candidatar a deputado federal pelo Rio Grande do Sul. O meu projeto hoje é deputado, mas continuou me envolvendo no meio do futebol”.

Permanência no futebol

“Eu estou fazendo um curso de gestão de futebol, com extensão universitária, e termino no final de dezembro. Além disso, estava fazendo um estágio com Paulo Autuori no Grêmio, mas, com a saída dele, terminei minha experiência por aqui”.

DJ

“Tocar é um hobby que tenho. Nunca levei isso como profissão. Eu tenho muitos amigos e eles me ensinaram umas técnicas e tal. A gente vai treinando e aprendendo. Não tenho interesse em ganhar dinheiro, mas adoro tocar”.

Interesse em ser técnico

“Eu quero é trabalhar com futebol, não precisa ser necessariamente técnico do Grêmio. Mas só pretendo realizar esta etapa após conseguir ser deputado”.

Momento mais marcante da sua carreira

“O mundial de Tóquio foi o que mais marcou na minha carreira. É o ápice para um jogador. No sentido profissional, não ter sido campeão foi decepcionante, mas, no futebol é assim, um ganha e outro perde”.

Sem mais artigos