Nesta quarta-feira, 2 de dezembro, o ex-nadador Gustavo Borges, um dos maiores nomes do cenário olímpico brasileiro, completa 37 anos de vida. Natural da cidade de Ribeirão Preto, o paulista cresceu na vizinha Ituverava, onde começou a criar o amor pelo esporte, mas, quem pensa que logo as piscinas despertaram a paixão do jovem grandalhão, está muito enganado. 

Gustavo começou a nadar aos 10 anos, mas antes, o nado tinha a atenção do garoto dividida com o futebol, o tênis, o basquete e até mesmo o hipismo. Contudo, na cidade de Ituverava, o esporte mais desenvolvido (e com treinadores) era a natação, que acabou se tornando a modalidade preferida de Borges.

E foi justamente na A. A. Ituveravense que o futuro campeão defendeu um clube pela primeira vez em competições. Posteriormente, Gustavo representaria outras agremiações, como a A. A. Francana, São Carlos Clube, C.R. Vasco da Gama, E.C. Pinheiros e, com seus resultados expressivos nos circuitos, logo se destacou nos torneios internacionais em que nadou pelo Brasil, somando diversos títulos ao longo de sua carreira: foram 4 medalhas olímpicas (duas pratas e dois bronzes), 31 vitórias em edições de Copa do Mundo, além de ser, ainda hoje, o recordista brasileiro de triunfos em Pan-Americanos, com 19 conquistas de medalhas.

Com 2,03m de altura e 98kg, Gustavo se despediu das competições profissionais na Olimpíada de Atenas, em 2004, quando participou da prova do revezamento 4x100m. Formado em Economia pela Universidade de Michigan, nos EUA, o campeão passou a morar no Brasil e a atuar como empresário.

Entre suas atividades, que envolvem a produção de DVD’s com técnicas de natação (inclusive para crianças), além de palestras pelo país afora, o aniversariante de hoje ainda encontra espaço para o desenvolvimento de projetos sociais, como as sete edições do “Nadando com Gustavo Borges” e o “Metodologia Gustavo Borges de Natação”, um curso de capacitação para escolas e academias de natação brasileiras.

No Pan-Americano de 2007, realizado na cidade do Rio de Janeiro, Gustavo Borges seguiu a indicação do COB (Comitê Olímpico Brasileiro) e integrou o Comitê organizador, além de também ter feitos suas vias de comentarista esportivo na televisão. A experiência da edição brasileira do evento levou o ex-nadador a ocupar o cargo de Vice-Chariman, junto à FINA (Federação Internacional de Natação Amadora), até o ano de 2013.

Sem mais artigos