Com a musa russa Yelena Isinbayeva fora das competições para descansar e aprimorar a parte física, a brasileira Fabiana Murer confirmou sua hegemonia mundial no salto com vara e, com a marca de 4,80m, 10cm acima de outra russa, Svetlana Feofanova, venceu a etapa de Monte Carlo da Liga Diamante de atletismo.

Murer havia dito que sua intenção era bater seu próprio recorde sul-americano, de 4,85m, feito que não conseguiu. No entanto, ela segue na liderança da disputa, com 14 pontos, sete a mais que a principal concorrente, a alemã Silke Spiegelburg.

Quem também fez bonito no Principado foi o americano Tyson Gay, que igualou a segunda melhor marca mundial do ano nos 200 metros ao vencer em Monte Carlo, com um tempo de 19s72, a 0s16 do líder da temporada, o jamaicano Usain Bolt.

A ausência “por razões financeiras”, segundo os organizadores, do até hoje segundo no ranking mundial do ano, o também americano Walter Dix, com os mesmos 19s72, deixou Tyson Gay sem o adversário mais difícil.

Gay não tomou conhecimento dos adversários e bateu o recorde da etapa, que pertencia a seu compatriota Maurice Greene, com 19s92 assinalado em 1999.

A prova de velocidade feminina também registrou vitória americana. Carmelita Jeter dominou de ponta a ponta a corrida de 100 metros e terminou com o tempo de 10s82, a um décimo do recorde de Mônaco, em poder de sua compatriota Marion Jones há 12 anos.

Nos 1.500 metros masculino, o queniano Silas Kiplagat venceu com a melhor marca mundial dos quatro últimos anos (3min29s27). Ele foi seguido pelo marroquino Amine Laalou (3min29s53), segundo colocado, e pelo também queniano Augustine Kiprono Choge (3min30s22), terceiro, em uma corrida com cinco atletas abaixo de 3min32s.

O americano David Oliver estava disposto a se aproximar do recorde mundial dos 110 metros com barreiras, em poder do cubano Dayron Robles, com 12s87, mas derrubou metade dos obstáculos e terminou “apenas” com o recorde da etapa, 13s01.

O americano Dwight Phillips conseguiu em sua primeira tentativa a melhor marca mundial do ano em salto em distância (8m46).

A cubana Yargelys Savigne, com 15m09 no salto triplo, e a americana Alysia Johnson, com 1min57s34 nos 800 metros, alcançaram os melhores registros do ano em ambas as provas.

A Liga Diamante se despede agora durante duas semanas para dar espaços aos campeonatos continentais.

Fabiana Murer vence em Mônaco e lidera Liga Diamante

Sem mais artigos