A Febraban (Federação Brasileira de Bancos) pagou passagens, hospedagem e refeições de um grupo de 42 juízes do trabalho e ministros do Tribunal Superior do Trabalho (TST) para participar de um congresso promovido pela entidade em resort de luxo na Praia do Forte (BA), durante o feriado prolongado de 21 de abril. As informações são da Folha de S. Paulo.

Segundo a Febraban, este é o 16º ano da realização do evento no país e tem o objetivo de discutir temas relacionados a questões trabalhistas. A exemplo dos anos anteriores, os contemplados puderam levar as esposas ou maridos.

A diária no resort cinco estrelas custa R$ 798, mas pode ser reduzida para cerca de R$ 600 por se tratar de um grupo de pessoas.

“Convidamos os juízes para trabalhar quatro dias em um feriado em que estariam de folga com suas famílias. Houve trabalho todos os dias. É justo que levem seus familiares”, disse Magnus Apostólico, superintendente de Relações do Trabalho da Febraban.

O TRT-SP afirmou, também por meio de sua assessoria, que a participação de magistrados em congressos e ciclos de estudos é necessária “para o melhor desempenho da atividade jurisdicional” e que “não houve discussões sobre processos ou mesmo sobre empresas e temas que pudessem suscitar comprometimento à independência dos juízes”. Cinco representantes de São Paulo participaram do encontro.

De acordo com a programação, os debates foram feitos na parte da manhã. No período da tarde, os magistrados tinham o tempo livre.

Segundo a Febraban, o evento é “autossustentável”. Isso porque as 60 pessoas que se inscreveram para participar do congresso pagaram R$ 11 mil pelos quatro dias de debates. O pacote incluía um acompanhante. Segundo a entidade, os inscritos pagaram pelos juízes que foram convidados.

O setor bancário é considerado um dos campeões de reclamações trabalhistas no país, segundo ranking feito durante anos pelo próprio TST.

Febraban pagou encontro de juízes em resort na Bahia

Sem mais artigos