Aconteceu nesta quarta (21) à noite a concorrida palestra com o norte americano Biz Stone, um dos criadores do Twitter ao lado de Evan Williams e Jack Dorsey. Ele está no Brasil a convite do evento “Agenda do Futuro”, promovido anualmente pela agência TV1 para debater sobre os novos rumos do marketing.

 

Os 300 convites disputados à tapa foram distribuídos entre clientes da agência e CEOs de empresas. Ainda assim, vários ficaram de fora e assistiram à concorrida apresentação nos telões do salão inferior.

 

Entre os convidados estavam o governador de São Paulo, José Serra. Notório fã do microblog, o governador garantiu não estar em pré-campanha à Presidência, mas ressaltou os avanços digitais de seu governo. Ele se reuniu brevemente com Stone antes da palestra para uma conversa a portas fechadas.

 

Considerado uma das 100 pessoas mais influentes do mundo pela revista Time, Biz Stone falou por menos de uma hora em uma apresentação simples e divertida sobre a trajetória da ferramenta que revolucionou a comunicação virtual, revelou alguns planos para um futuro próximo e destacou o lado humano da ferramenta. “Twitter não é sobre tecnologia mas sim, humanidade”, disse destacando que o maior valor do Twitter são as pequenas histórias acontecendo em todo o mundo.

 

Com uma proposta de aquisição do Google estimada em 250 milhões de dólares, Stone diz que a sua motivação e a de seu sócio Ev Williams não é o dinheiro e sim fazer mudanças positivas no mundo. “Deixei o Google antes do IPO (abrir o capital de uma empresa no mercado de ações). Não foi um momento inteligente, mas não é o dinheiro que me motiva”, garante.

 

O Twitter, no entanto, não deixa de lado as parcerias, como as que acaba de anunciar com o próprio Google e o Bing, da Microsoft, para buscas em tempo real. “O futuro é ser aberto”, disse. A ferramenta continuará gratuita mas ganhará, ainda em 2009, um serviço de estatísticas que poderá ser contratado por contas comerciais.

 

Outro motivo que trouxe Stone ao Brasil é conhecer a melhor abordagem do Twitter para o País, já que 15% de seus usuários são brasileiros. Uma das ideias é uma tradução colaborativa para o Português. Sobre a utilidade do serviço, disse que no início os críticos comentavam que o Twitter era divertido, mas não era útil. “Talvez seja só divertido mesmo, mas quem sabe funcione só por isso”, afirmou.

 

Após a palestra, o criador do Twitter foi alvo de tanta tietagem quanto um rock star. Homens e mulheres, fossem geeks ou não, pediram para tirar fotos com ele. Dos engravatados, foram ouvidos comentários como  “adorei a palestra do Biz, só preciso entender agora o que é Twitter”.

Veja abaixo Biz Stone dando um alô para o Virgula.

Sem mais artigos