O escândalo do mensalão envolvendo o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido), teve mais um capítulo. O próprio governador se apresentou na tarde de hoje (11) à Polícia Federal (PF) em Brasília depois que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinou sua prisão.

O motivo, no entanto, não foi pelo fato dele ter sido filmado recebendo dinheiro de procedência, no mínimo, duvidosa, mas por seu envolvimento numa tentativa de suborno do jornalista Edson dos Santos, conhecido como Sombra.

O próprio jornalista entrou em contato com a PF e disse que enviados do governador queriam que ele declarasse que os vídeos em que Arruda  e outros políticos aparecem recebendo dinheiro haviam sido manipulados por Durval Barbosa, ex-secretário de Relações Institucionais do Distrito Federal, que foi quem denunciou o esquema e quem fez as filmagens.

Na semana passada, após informações de Sombra, o conselheiro do Metrô da capital Antonio Bento da Silva foi preso no momento em que entregava R$ 200 mil ao jornalista.

Além do governador e de Silva, o STJ também determinou a prisão de Weligton Moraes, ex-secretário de Comunicação, de Rodrigo Arantes, sobrinho do governador, do ex-deputado Geraldo Naves (DEM); e de Haroaldo Brasil de Carvalho, diretor da Companhia Energética de Brasília (CEB). Em nota, Arruda classificou a prisão como absurda.

Governador do DF se entrega após ter prisão decretada pelo STJ

Sem mais artigos