O presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem defendido um maior alcance da banda larga de internet no Brasil. Para isso, o governo tem diversos grupos técnicos trabalhando em projetos para massificar o acesso à internet. Nos próximos dias, detalhes do plano devem ser divulgados.

De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, é praticamente certo que o governo usará a estrutura de cabos de fibra óticas de empresas estatais, como Petrobras e Eletrobrás, para este projeto. A ideia é criar uma empresa pública para o setor de banda larga e que seria administrada pela Telebrás. Com isso, aumentaria a capacidade de oferta do serviço em todo o país.

As empresas privadas, como companhias telefônicas e provedores de internet, operariam na ponta do sistema, continuando a oferecer os serviços aos clientes finais. O modelo de operação já é negociado por diferentes áreas do governo federal desde outubro.

O programa defendido por Lula tem como meta 2014. Os diagnósticos são traçados de acordo com as diferenças regionais e econômicas do país. Representantes do governo consideram o atual serviço de banda larga brasileiro concentrado, lento e caro. Dados mostram que 80% dos usuários dos serviços estão nas regiões Sul e Sudeste.

Recentemente, a Telefonica, empresa de telefonia fixa que opera em São Paulo, anunciou que lançaria um plano de banda larga com preços mais acessíveis, visando a camada mais simples da população. A mesma medida também será adotada pela NET.

Sem mais artigos