À partir deste sábado (12), em homenagem aos 10 anos da morte do dramaturgo Plínio Marcos, que faleceu no dia 19 de novembro, dois grupos de teatro vão encenar diferentes textos do autor.

Homens de Papel, de 1968, reestreia no Teatro Coletivo e com direção de Sérgio Audi. A peça retrata a realidade de um grupo de catadores de papel que, revoltado com a exploração de um comprador, deseja se rebelar.

Grito!, além de marcar a estreia do Grupo Sombrero de Teatro, reúne três obras de Plínio: Querô – Uma Reportagem Maldita (1976), O Abajur Lilás (1969) e Navalha na Carne (1967).

Serviço:

Homens de Papel
Onde: Teatro Coletivo. R. da Consolação, 1.623 – Consolação – SP
Quando: Estreia 12/09. Sáb., 19h; dom., 18h. Até 30/11.
Quanto: R$30
Informações: (11) 3255-5922

Grito!
Onde: Teatro Irene Ravache. R. Capote Valente, 667 – Pinheiros – SP
Quando: Estreia 12/09. Sáb., 21h; dom., 19h30. Até 15 de novembro
Quanto: R$ 30,00
Informações: (11) 3081-5493

Sem mais artigos