Os hondurenhos vão às urnas neste domingo para eleger um novo presidente em meio à crise causada pelo golpe de Roberto Micheletti, que terminou com a saída do presidente Manuel Zelaya. Mas a maioria dos países integrantes da Organização dos Estados Americanos e da União das Nações Sul-Americanas não conhece a legitimidade do processo eleitoral.

Entre os candidatos que lideram as pesquisas de votos está Porfírio Lobo Sosa, que é do Partido Nacional. Em 2005, Pepe Lobo, como é conhecido, foi derrotado por Zelaya por uma diferença de 75 mil votos. Seu rival é Elvin Ernesto, do Partido Liberal.

Os outros três candidatos são Felicito Ávila, da Democracia Cristiana, César Ham, da Unificación Democrática, e Bernard Martínez, do Partido de Inovación y Unidad, mas eles não devem somar muitos votos.

O vencedor terá que conquistar o reconhecimento da comunidade internacional e reorganizar o país. Para evitar confrontos durante as eleições, o governo determinou o desarmamento de toda a população.

Honduras vai às urnas em meio a grave crise

Sem mais artigos