O inusitado e polêmico protesto de John Lennon e Yoko Ono Bed-in for
Peace
(“Na cama pela paz”) voltou, 40 anos depois, a Amsterdã, com a
possibilidade de visitar o quarto do hotel onde o ato ocorreu e com
várias exposições que recriam seu espírito pacifista.

Graças à
mostra <i>Da Holanda com paz</i>, fãs e curiosos poderão lembrar daquele 24
de março de 1969, quando, alheios às críticas dos mais céticos, os dois
artistas iniciaram a particular reivindicação com a qual passaram sua
lua-de-mel trancados em um quarto para pedir a paz mundial.

Rodeados
por cartazes com mensagens como “Bed Peace” (“Paz na cama”), “I love
Yoko” (“Eu amo Yoko”) ou “Grow your hair” (“Deixe seu cabelo crescer”),
os recém-casados aproveitaram a repercussão midiática de seu recente
casamento em Gibraltar para pedir o fim da Guerra do Vietnã.

O apelo
foi feito a mais de 300 fotógrafos e repórteres de todo o mundo, os
quais eram recebidos de pijama diariamente das 9h às 21h.

“O hotel
Hilton foi o único hotel de sua categoria em Amsterdã que aceitou
hospedar o casal, já que, naquele momento, a polêmica rodeava John
Lennon por suas relações com as drogas”, explicou à Agência Efe o
diretor-geral do estabelecimento, Roberto Payer.

Agora, o hotel quis
fazer sua homenagem particular a um dos casais mais midiáticos do
século XX com esta exposição, que, em apenas dois dias, já foi visitada
por mais de mil pessoas.

Imagens do casal na cama com as mãos dadas,
tocando violão, arrumando tulipas e fotos que refletem cenas
cotidianas, nas quais aparecem tomando café-da-manhã ou falando ao
telefone, poderão ser vistas gratuitamente até 29 de março.

Entre as
40 imagens do casal contidas na mostra organizada pelo hotel há 16
instantâneas inéditas do fotógrafo holandês Nico Koster que, até quatro
meses atrás, eram desconhecidas do grande público.

Além da
exposição, os curiosos e os seguidores destes dois ícones terão a
oportunidade, durante esta semana, de visitar o mítico quarto 702, no
qual ambos ficaram hospedados, uma ocasião única, já que, passar uma
noite no apartamento custa 1.750 euro (US$ 2.379).

Apesar do alto
preço da diária, o quarto é um dos mais procurados do hotel, já que,
além de reviver a experiência de John e Yoko, os noivos podem se casar
nele, afirmou Payer.

Trechos de canções dos Beatles, fotografias e
dois desenhos originais feitos pelo próprio John Lennon durante aquela
semana decoram as paredes de um quarto, em cujas janelas ainda se podem
ler as mensagens reivindicativas penduradas pelos recém-casados.

As
reformas feitas na década de 1980 impedem o visitante de contemplar a
mobília original, mas o quarto foi remodelado seguindo o estilo do
apartamento que o casal teve no edifício Dakota, de Nova York, depois
que a viúva do beatle aprovou o design.

Além disso, o hotel
selecionou um grupo de fotografias, nas quais aparecem o dalai lama,
Nelson Mandela, pombas brancas voando ou campos de tulipas para
ilustrar os 40 anos que se passaram desde então, evocando momentos
relacionados com a temática pacifista.

“Nós procuramos apenas
conseguir um pouco de paz”, cantavam os <b>Beatles</b> na música “The Ballad
of John and Yoko”, canção que Lennon escreveria pouco tempo depois para
responder às críticas dos que não compreenderam sua luta.

Apesar de,
infelizmente, não terem alcançado seu objetivo, na memória de todos
perduram, 40 anos depois, a vontade de mudar o mundo e o espírito
inconformista de dois pacifistas revolucionários.

Sem mais artigos