A queda da cotação do dólar e a estabilidade econômica alavancaram as importações, que registraram o recorde mensal do ano em outubro, somando US$ 12,7 bilhões. Com isso, o saldo comercial também registrou o menor resultado mensal do ano, de US$ 1,328 bilhão, superior apenas ao mês de janeiro (com déficit de US$ 524 milhões).

Com dificuldades para exportar, a indústria nacional aproveitou o momento para aumentar as importações de insumos para atender à demanda maior. Além disso, o aumento das importações reduziu o impacto do crescimento das exportações para EUA e América Latina.

De acordo com o Ministério do Desenvolvimento, apesar de o superávit comercial acumulado até outubro superar o obtido no mesmo período do ano anterior, a corrente de comércio do Brasil com exterior ainda é 26,8% menor que a de 2008.

Ao jornal Folha de São Paulo, o secretário de Comércio Exterior, Welber Barral, disse que o crescimento dos desembarques no país ocorre de forma significativa desde agosto. “Não se trata de um surto, mas é um aumento contínuo devido ao efeito de fim de ano, além do incentivo cambial”, afirmou Barral, segundo o jornal.

Importação atinge o maior patamar do ano e reduz saldo

Sem mais artigos