O Banco Central (BC) divulgou nesta terça-feira (28) que a taxa geral de inadimplência no Brasil subiu de 5,5% em maio para 5,7% em junho. O levantamento leva em consideração todas as operações com pessoas físicas e também com empresas realizadas nos períodos.
 
De acordo com os dados da autoridade monetária, esse é o maior nível da série histórica que está disponível na internet e que teve início em junho de 2000. Até então, a taxa mais elevava já registrada era de junho de 2000, quando chegou a 5,6%

Este é o nono mês consecutivo em que a taxa de inadimplência apresenta aumento no país. O levantamento considera as operações com atrasos superiores a 90 dias. O indicador passou a subir em outubro do ano passado, quando houve um agravamento da oferta de crédito como efeito da crise internacional.

Levando em consideração as pessoas físicas, o indicador permaneceu estável em junho, no patamar de 8,6%. Ainda sim, é o maior valor desde junho de 2000. Já entre as empresas, a inadimplência subiu de 3,2% para 3,4%, o piro resultado desde maio de 2001, quando estava em 4,2%.

Inadimplência atinge pior nível desde 2000

Sem mais artigos