Os indonésios que fizeram tratamento para aumento do pênis não poderão se apresentar para os testes de acesso da Polícia e do Exército porque seu órgão sexual pode provocar um “obstáculo”, segundo informou a imprensa local nesta segunda-feira (26).

De acordo com o chefe da Polícia Nacional em Papua, Bekto Suprapto, o procedimento, seja por intervenção cirúrgica ou por métodos tradicionais, pode representar um “impedimento na hora de treinar”.

“Se (o candidato) o fez, será considerado como ‘não apto’ para ingressar na Polícia e no Exército”, afirmou ao explicar o novo regulamento de admissão de pessoal.

A medida é especialmente dirigida aos membros de vários grupos étnicos papuanos, que costumam esfregar seus órgãos sexuais com a folha urticante de uma árvore chamada “gatal-gatal” que produz um forte inchaço, segundo o jornal The Jakarta Globe.

Além disso, a Polícia e o Exército indonésios devem descartar todos os candidatos que sofram de algum tipo de doença sexualmente transmissível.

Sem mais artigos