De acordo com informações do G1, o Inep (Instituto Nacional de Pesquisas e Estudos Educacionais), órgão responsável pelo Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) assumiu o erro de logística na distribuição dos alunos que prestarão o exame em São Paulo. Na última semana, quando foram divulgados os locais de prova, muitos candidatos reclamaram da distância entre suas casas e os lugares estabelecidos.


 


Em defesa, o Inep explica que foi formada uma equipe por técnicos do instituto e pela Consultec, empresa responsável pela avaliação, para encontrar uma solução para o caso. De acordo com o órgão, a capital paulista foi dividida em 15 regiões, diferentemente do ano passado, que eram apenas oito. No entanto, o Inep afirma que o problema não está na divisão do município e sim na forma como a distribuição foi feita.


 


Como justificativa, o instituto garante que no início as vagas foram distribuídas nas escolas de acordo com o endereço fornecido pelos alunos. Porém, sobraram inscritos em uma região e vagas em outra. A falha teria ocorrido nesse ponto, pois a distribuição dos alunos foi automática e não considerou a proximidade com a residência.


 


Segundo a assessoria de imprensa do Inep, o órgão busca uma solução para o problema que afetou somente a cidade de São Paulo, mas até agora não é possível mudar o local de prova.


 


As provas do Enem serão realizadas nos dias 3 e 4 de outubro. Cerca de 4,5 milhões de candidatos se inscreveram para participar da prova. A partir deste ano, o exame é requisito para a entrada em pelo menos 40 universidades federais, além de ser necessário para quem disputa uma bolsa do Programa Universidade para Todos (ProUni).

Sem mais artigos