Pelo quinto mês consecutivo, o varejo brasileiro apresentou alta mensal de 0,3% em volume de vendas em setembro, na comparação com agosto. Já em receitas, a expansão foi de 0,2%. Os dados foram divulgados na manhã desta sexta-feira (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Levando em consideração os dados do trimestre, o crescimento em volume de vendas do varejo ficou abaixo dos períodos anteriores. Porém, na comparação com o mesmo mês do ano passado, a alta foi de 5% em volume e 8,1% em receitas. No acumulado do ano, esses indicadores registraram elevação de 4,7% e 9,4%. Em 12 meses, as altas acumuladas ficaram em 5% e 10,2%.

Ainda sob os efeitos da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), o setor de veículos e motos, partes e peças, foi o principal responsável pelo avanço em setembro. Somente o segmento teve expansão das vendas de 9,1%.

Além de automóveis, outros setores tiveram um papel importante para o varejo em setembro. Entre eles está o de material para escritório, informática e comunicação, que avançou 8,8%, já móveis e eletrodomésticos ganharam 1,8%.

No entanto, alguns segmentos tiveram queda em setembro. É o caso de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, com redução de 0,5%. Destaque negativo ficou para material de construção, com queda de 1,5%.

Por outro lado, quando comparamos os dados com setembro do ano passado, o grupo “hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo” teve alta de 9,7%, enquanto o de “artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria” ganhou 8,1%.

Sem mais artigos