A Islândia aprovou na sexta (11) uma lei que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Diferente dos outros países que tomaram atitudes semelhantes, não houve nenhuma oposição política.

Com seus 320 mil habitantes a ilha que beira o Círculo Ártico é o primeiro país a ter um chefe de estado homossexual, a primeira-ministra Johanna Sigurdardottir, eleita em 2009.

Johanna Sigurdardottir, a primeira-ministra assumidamente homossexual da Islândia (Foto: Getty Images)

Johanna Sigurdardottir, a primeira-ministra assumidamente homossexual da Islândia (Foto: Getty Images)

O cientista político da Universidade da Islândia, Gunnar Helgi Kristinsson (que lugar para dar nomes difíceis!), disse à Reuters que “o casamento gay não é uma grande questão nas políticas nacionais, não teve controvérsia”.

A igreja protestante da Islândia ainda não se pronunciou sobre a decisão, mas a lei deixa claro que “ministros estão permitidos a realizar casamentos (gays), mas nunca serão obrigados”.

Países predominantemente protestantes do norte da Europa, como Suécia, Dinamarca e Noruega tradicionalmente são pouco preocupados com as opções sexuais e já permitem algum tipo de união civil entre pessoas do mesmo sexo.

Sem mais artigos