A delegação da Jamaica pediu que Asafa Powell e outros cinco atletas sejam impedidos de disputar o Mundial de atletismo, a partir da próxima sexta em Berlim, por não terem participado de um período de aclimatação em Nuremberg. O secretário-geral da IAAF, Pierre Weiss, confirmou que o pedido foi feito hoje mesmo, mas as razões não estariam alegadas.

Os seis atletas preferiram permanecer na Itália com o grupo do técnico Stefen Francis em vez de ir a Nuremberg – como fez Usain Bolt, atual campeão olímpico e recordista mundial dos 100, 200 metros e revezamento 4x100m.

A medida, que só ganhará efeito até 48 horas antes do começo do campeonato, envolve ainda Shelly-Ann Frasier, campeã olímpica dos 100m; Melanie Walker, ouro nos 400m com barreiras em Pequim; Brigitte Foster-Hylton, do salto com vara; e as velocistas Shericka Williams e Kaliese Spence.

A ausência do grupo complicaria o objetivo do atletismo jamaicano de manter a hegemonia mundial obtida nos Jogos Olímpicos de Pequim, quando o país levou cinco das seis medalhas de ouro em disputa nas provas de velocidade. A federação jamaicana solicitou ainda que eles sejam expulsos da vila de atletas.

O presidente da federação jamaicana, Howard Aris, advertiu na segunda-feira que aqueles que não participassem do período de treinos ficariam de fora da equipe.

Jamaica tenta impedir Powell de disputar o Mundial de atletismo

Sem mais artigos