Depois do fim do reality show Britain’s Got Talent, que acabou com a superfavorita Susan Boyle ficando em segundo lugar, os jornais britânicos (especialmente o The Sun e Daily Mail) publicaram história afirmando que a cantora escocesa sofreria um tipo de “atraso mental”.

Segundo as notícias, que até geraram uma matéria no programa Fantástico deste domingo, a vice-campeã do programa teria ingerido líquido amniótico quando nasceu, o que desencadeou uma parada respiratória que gerou falta de oxigenação do seu cérebro.

Agora, os principais veículos de comunicação europeus e americanos iniciaram uma verdadeira “corrida do ouro” atrás de especialistas para dar seu parecer e esclarecer os motivos pelo qual esse diagnóstico não foi feito antes.

Piers Morgan, peça central do juri do programa, foi o primeiro a partir em defesa do reality show, dizendo que não houve abuso da boa vontade ou da inocência de Boyle.

“Ninguém obrigou Susan a participar do show. Ela foi lá porque quis. E ela gostou do sucesso, gostou da exposição, adorou ser estrela”, declarou após visitar a cantora em uma clínica de recuperação.

O ponto de vista de Morgan, que desde o início fez questão de ser só elogios à cantora no ar, parece não ser totalmente diferente de Gerard Boyle, irmão da cantora.

“Ela realmente surtou, mas já está começando a entender que a vida dela vai mudar, que será reconhecida na rua, que será um alvo da mídia”, declarou em entrevista reproduzida pelo G1.

Resta saber se os grandes planos que vinham sendo traçados para a carreira de Susan vão continuar tomando as mesmas proporções, lembrando que seu nome já foi cotado até para cantar ao presidente americano Barack Obama no dia da independência dos EUA.

Sem mais artigos