O pronunciamento do presidente do Senado, <b>José Sarney</b> (PMDB-AM), sobre a atual crise na Casa, era previsto para a tarde desta terça-feira (04). Entretanto, sem divulgar o motivo do adiamento, a assessoria da presidência informou que o discurso foi adiado para amanhã.

Conforme relatado pelos assessores de Sarney, o pronunciamento está sendo redigido pelo próprio presidente da Casa, mas o teor do discurso não foi revelado.

Ontem o clima esquentou no Senado e o senador Pedro Simon (PMDB-RS) bateu boca com seus colegas de partido Renan CalheirosFernando Collor. O político gaúcho voltou a pedir a saída de Sarney do Senado. Para Simon, a renúncia de Sarney da presidência “trará a paz” para a instituição.

“Será um gesto de grandeza que poderá trazer a paz para esta Casa. Presidente Sarney, vossa excelência não tem condições de levar adiante as reformas necessárias para esta Casa”, completou Simon.

Segundo uma reportagem publicada pelo jornal norte-americano Wall Street Journal nesta terça, o presidente Lula teria cortado seus laços com Sarney diante das alegações de corrupção que envolvem o nome do senador.

O jornal diz que Lula defendeu Sarney das acusações, mas que na semana passada, em uma entrevista coletiva, o presidente da República adotou uma nova postura, “sugerindo que não vai mais defender Sarney”.

Leia Mais:
Lula “quer distância” de Sarney, diz Wall Street Journal
Senadores batem boca por causa de Sarney

Sem mais artigos