O preconceito invadiu os gramados da Turquia. Um árbitro de futebol do país, que não teve seu nome revelado, foi proibido de comandar partidas após ter assumido ser homossexual, segundo o jornal turco Hurriyet.

A justificativa dada para a exclusão do juiz dos jogos foi a lei do país que proíbe homossexuais de prestar serviço militar, o que é necessário para uma pessoa se tornar árbitro das competições realizadas pela Federação Turca de Futebol.

“O artigo 25 da lei arbitral da Federação indica que as pessoas que estão isentos do serviço militar não podem trabalhar como árbitros”, afirmou Osman Avci, secretário-geral da Junta Central de Árbitros.

Como a federação está baseada em uma lei federal, o juiz cogita ir até o Tribunal Europeu de Direitos Humanos para resolver a situação. “Tive a ideia de levar a questão ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos. Mas agora estou confuso. Inclusive, penso me mudar do país e viver noutro lugar”, completou o árbitro.

Juiz é afastado do futebol na Turquia por assumir ser homossexual

Sem mais artigos