O meia Kaká, do Real Madrid, reconheceu hoje em entrevista coletiva que não está satisfeito com o desempenho que teve em sua primeira temporada no time e disse que, depois de voltar aos gramados no fim de semana passado após uma lesão muscular na coxa, não está recuperado para jogar 90 minutos.

“Não estou contente com o desempenho que poderia ter dado nesta temporada. Mas toda a questão é física. Sofri muito com as lesões quando cheguei. Quando estiver bem fisicamente, o bom desempenho virá. A torcida estará contente e eu também”, ressaltou Kaká, que não falava com a imprensa desde 8 de fevereiro.

O jogador falou sobre a lesão que o deixou afastado dos campos por 45 dias e enfatizou que esta era pior do que a que teve antes. “Foram duas lesões diferentes. Espero não ter mais problemas físicos. Agora estou fazendo de tudo para atingir a forma ideal e não sofrer com as lesões”, explicou.

“É muito ruim estar contundido. É o pior para um jogador”, acrescentou.

Kaká negou que cogita deixar a equipe agora. “Em nenhum momento penso em deixar o Real Madrid. Vou viver muitos momentos de alegria com essa torcida. Foram 45 dias que estive sofrendo com críticas, mas não é um problema”, ressaltou.

“As pessoas que trabalham aqui comigo no dia a dia não comentam. Eles sabem como trabalho, meu profissionalismo aqui todos os dias, o que faço para estar bem”, acrescentou.

Com relação às vaias que recebeu da torcida no estádio Santiago Bernabéu quando foi substituído durante o jogo contra o Olympique de Lyon, Kaká declarou que elas não o atingem porque ele está acostumado à pressão que viveu em clubes anteriores, como no São Paulo e no Milan.

Ele também comentou a possibilidade de o Real Madrid vencer a Liga dos Campeões. Segundo ele, “um ponto não quer dizer muito”. Mas ao ser perguntado sobre quem prefere que chegue à final da Liga, entre o Barcelona e a Inter de Milão, ele não quis se pronunciar. “Que vença o melhor”, desconversou.

Sem mais artigos